Um pessoa com a mão estendida


Ostomia: como reduzir os odores e gases?

Ostomia: saiba como reduzir possíveis odores e gases



Medo de alguém sentir o cheiro dos seus desejos é um temor tão grande entre os ostomizados quanto de que eles vazem. Calma! Se a bolsa de ostomia está bem encaixada, ninguém deverá sentir cheiro algum. O odor é exalado quando se vai trocar ou jogar fora a bolsa.


De qualquer forma, o avanço da tecnologia permitiu o desenvolvimento de bolsas com barreira anti-odor, isto é, o cheiro fica contido apenas ali. Se por acaso você sente algum cheiro, é sinal de que pode estar havendo vazamento.


Uma coisa importante é saber que o cheiro das fezes é um pouco diferente daquele que você estava acostumado antes de se submeter à cirurgia de ostomia porque parte do intestino foi retirada.


Confira, abaixo, algumas dicas importantes para ajudar a orientá-lo:


1. Alimentos que produzem gases


Se você é ileostomizado ou colostomizado, deve ter notado a presença de gases na bolsa, que costumam aparecer assim que o intestino volta a trabalhar depois da cirurgia. Esses gases podem ser resultado do ar que você engole ou dos alimentos que você ingere.


O sistema digestivo de cada um de nós responde de forma diferente a alimentos que produzem gases. Para uma pessoa, a ingestão de brócolis, por exemplo, pode ser determinante, enquanto para outras, nem tanto.


Além do brócolis, outros alimentos são conhecidos por seu poder de criar gases quando são digeridos. São eles o feijão, a couve-flor e o repolho. Outros, produzem gases ainda mais potentes, como o alho e o ovo.


Bebidas gaseificadas também fazem com que a quantidade de gases na bolsa aumente. Não é necessário retirar os alimentos por completo, apenas limitar a sua ingestão.


2. Use filtro na bolsa


Algumas marcas de equipamentos para ostomizados oferecem bolsas com filtro de carbono ou de carvão. Outras, filtros que são removíveis e que podem ser substituídos. O filtro também ajuda a minimizar a quantidade de gases dentro da bolsa, evitando que ela “inche”.


O importante é encontrar uma forma de deixar o filtro o mais seco possível, pois ele dura mais assim. Algumas marcas recomendam enrolá-lo em papel toalha.


3. Quando esvaziar


O melhor momento para trocar a bolsa é de manhã, antes do café da manhã. O ideal é que você a esvazie quando os dejetos atingirem de 1/3 a metade do volume da bolsa, o que significa que você provavelmente precisará fazer isso até 3 vezes ao dia. Esvaziar ou substituir a bolsa com regularidade ajuda a reduzir o risco de vazamentos.


4. Sachês e desodorantes


Eis uma boa opção para quem está preocupado com o odor dos dejetos produzidos pelo nosso organismo. Algumas marcas oferecem produtos líquidos para serem colocados na bolsa antes que ela encha. Outras, oferecem tablets que vão produzir um odor agradável depois de a bolsa receber as fezes. Outras, ainda, oferecem sachês que fazem com que a fezes virem uma espécie de gel, ajudando a evitar vazamentos. Além disso, esses sachês também ajudam a reduzir o odor das fezes. Por fim, há a opção de sprays para a hora da troca da bolsa. Essa talvez seja uma alternativa interessante para quem usa o banheiro público, o do trabalho ou o da casa de um colega ou amigo.

Saiba mais sobre esse assunto

Produtos relacionados:

  • Meias Cardinal Antiembólicas T.E.D - Até a Coxa - Média - Longa

    Por: R$ 143,49

    Comprar
  • Meias Cardinal Antiembólicas T.E.D - Até o Joelho - Média - Regular

    Por: R$ 86,12

    Comprar
  • Meias Cardinal Antiembólicas T.E.D - Até a Coxa - Extra G. Grande - Longa

    Por: R$ 143,49

    Comprar
  • Meias Cardinal Antiembólicas T.E.D - Até o Joelho - Extra G.G. Grande - Regular

    Por: R$ 86,09

    Comprar
  • Meias Cardinal Antiembólicas T.E.D - Até a Coxa - Extra G. Grande - Curta

    Por: R$ 143,49

    Comprar