UTILIZE O CUPOM
PRIMEIRACOMPRA
GANHE 5% DE DESCONTO E 5% DE CRÉDITO EM TODAS AS COMPRAS.
CUPOM
PRIMEIRACOMPRA
5% OFF + 5% DE CRÉDITO.

Escolha seus produtos para saúde
imagem de uma criança de costas com diversas feridas com pomada em cima


Varíola do macaco: o que é e como funciona?


Um preocupante surto internacional de varíola macaco, um primo menos prejudicial do vírus da varíola, chegou agora aos Estados Unidos e ao Canadá. Até sábado, 92 casos confirmados da doença, e mais 28 casos suspeitos, foram relatados em 12 países, de acordo com a Organização Mundial da Saúde.


Entre 1 e 5 casos confirmados estão atualmente sob investigação nos Estados Unidos, informou a OMS.


A varíola macaco foi observada pela primeira vez no Reino Unido, Portugal, Espanha e outras partes da Europa, no início de maio. Na sexta-feira, os Centros de Controle e Prevenção de Doenças dos Estados Unidos estavam monitorando seis pessoas nos Estados Unidos para possíveis infecções. Eles se sentaram perto de um viajante infectado em um vôo da Nigéria para o Reino Unido no início de maio.


Os funcionários do Centro de Controle também estão investigando um caso confirmado de varíola de macaco em um homem de Massachusetts que viajou recentemente para o Canadá, de acordo com a CNN. E o Departamento de Saúde de Nova York está sondando uma possível infecção em um paciente no Hospital Bellevue de lá.


Apesar de todas essas infecções recentes em áreas onde o vírus é incomum, e da preocupação recém-descoberta de que a doença possa se espalhar através do contato sexual, os especialistas em saúde estão alertando contra uma reação exagerada. Ao contrário de doenças emergentes como a COVID-19, a varíola macaco é bem compreendida e tratamentos eficazes estão disponíveis.


"Ninguém deve entrar em pânico", disse Anne Rimoin, presidente de doenças infecciosas e saúde pública da Universidade da Califórnia, Los Angeles. "A varíola macaco é um vírus conhecido que está sendo introduzido em uma nova população".


A doença começa com febre, gânglios linfáticos inchados e outros sintomas semelhantes aos da gripe, seguidos por uma erupção cutânea no rosto que se espalha para outras áreas, incluindo genitais, mãos e pés.


A transmissão sexual é uma possibilidade

Os sintomas são semelhantes aos da varíola, mas mais leves, disse Rimoin.


"Pode durar várias semanas, e as pessoas podem se sentir bastante doentes", disse ela. No entanto, tratamentos eficazes já estão disponíveis.


A varíola macaco é transmitida principalmente de animais para humanos - e menos frequentemente de pessoa para pessoa porque é necessário um contato próximo com fluidos corporais, acrescentou Hannah Newman, diretora de epidemiologia do Hospital Lenox Hill em Nova York.


"Qualquer pessoa que experimente uma erupção cutânea ou lesão incomum e que tenha fatores de risco [ou tenha tido encontros sexuais com alguém que tenha] deve procurar cuidados imediatamente", disse ela.


Na segunda-feira, Enrique Ruiz Escudero, alto funcionário da saúde na capital espanhola de Madri, disse que a cidade registrou 30 casos confirmados de varíola de macaco até o momento.


De acordo com Newman, "parece que pode haver um componente de transmissão sexual para o surto atual, que não vimos em surtos anteriores".

 

Entretanto, "sinto que este é um vírus que entendemos, temos vacinas contra ele, temos tratamentos contra ele, e ele se espalha de forma muito diferente do SARS-CoV-2 (o vírus que causa o Covid-19)", disse o Dr. Ashish Jha, coordenador de resposta ao Covid-19 da Casa Branca, à ABC News no domingo.


"Não é tão contagioso quanto o Covid. Portanto, estou confiante de que vamos ser capazes de manter nossos braços em torno dele", disse Jha. "Mas vamos rastreá-lo muito de perto e usar as ferramentas que temos para nos certificarmos de que podemos continuar a evitar uma maior propagação e cuidar das pessoas que forem infectadas".


Novas perguntas sobre a varíola do macaco

Fatores de risco para surtos passados incluíram o contato com animais vivos ou mortos e o consumo de carne de caça ou de animais silvestres, disse Newman.


Quando o vírus salta de um animal para um humano, a transmissão entre humanos pode ocorrer através do contato direto com gotículas respiratórias, fluidos corporais ou lesões cutâneas.


Na África, entre 1% e 15% das pessoas com varíola de macaco poderão ir a óbito por causa do vírus. "A doença grave e [morte] é maior entre crianças, adultos jovens e indivíduos imunocomprometidos", disse Newman.


O vírus foi descoberto pela primeira vez em 1958, quando dois surtos de uma doença semelhante à varíola ocorreram em macacos. O primeiro caso humano conhecido ocorreu em 1970 na República Democrática do Congo, e desde então tem sido relatado em humanos em outros países da África central e ocidental, de acordo com o Centro de Controle dos Estados Unidos.


Embora não ocorra naturalmente nos Estados Unidos, esta não é a primeira vez que a varíola de macaco é vista por lá. Um surto de 2003 foi ligado a cães de pradaria infectados importados como animais de estimação.


Muitas perguntas sobre o novo surto permanecem.


"Precisamos monitorá-lo e entender como ele está se comportando e como foi introduzido na nova população", disse Rimoin.


Este surto parece estar ligado à cepa de macaco da África Ocidental, que, segundo Rimoin, é menos transmissível e tende a causar sintomas mais leves do que a cepa da África Central.


Vacinas contra a varíola do macaco já existem

Felizmente, a vacina contra a varíola pode proteger as pessoas contra a varíola dos macacos.


De fato, o governo dos EUA já encomendou a vacina no valor de 119 milhões de dólares com uma opção para mais. As autoridades sanitárias britânicas estão oferecendo vacinas contra a varíola a alguns profissionais da saúde e a outros que podem ter sido expostos à varíola macaco.


A boa notícia é que os surtos de varíola de macaco são raros e geralmente de curta duração, disse Newman.


O surto de 2003 nos Estados Unidos, por exemplo, foi rapidamente contido através de testes extensivos, da implantação de vacinas e tratamentos contra a varíola e da orientação para pacientes, prestadores de cuidados de saúde, veterinários e outros manipuladores de animais.


"Todas as 47 pessoas se recuperaram e nenhum dos 47 casos disseminou a doença para outra pessoa", disse ela.


Casos de varíola macaco haviam sido vistos anteriormente apenas entre pessoas com ligações com a África Central e Ocidental, de acordo com a Associated Press. Mas na semana passada, os Estados Unidos estavam entre os sete países que relataram infecções, principalmente em homens jovens que não tinham viajado anteriormente para a África.


A França, Alemanha, Bélgica e Austrália confirmaram seus primeiros casos na sexta-feira, informou a Associated Press.


"Estou atônito com isto. Todos os dias acordo e há mais países infectados", disse o virologista Oyewale Tomori, que faz parte de vários conselhos consultivos da Organização Mundial da Saúde.


"Este não é o tipo de propagação que vimos na África Ocidental, portanto pode haver algo novo acontecendo no Ocidente", disse ele à imprensa.


No Brasil, o Governo Federal já está tomando medidas para acompanhar a varíola do macaco. 


Mais informações

FONTES: Hannah Newman, MPH, diretora, prevenção de infecções, Lenox Hill Hospital, Nova York; Anne Rimoin, PhD, MPH, professora, epidemiologia, e diretora, Centro de Saúde Global e Imigrante, Universidade da Califórnia, Los Angeles; Associated Press, 20 de maio de 2022; CNN, 20 de maio de 2022

Encontre seus produtos para saúde e receba em todo Brasil.
Lembrou de alguém? Compartilhe!
  • Curativo Alginato Kaltostat Fita 2g - Convatec

    Por: R$ 304,14

    Comprar
  • Curativo Carboflex 10 X 10 cm - Convatec

    Por: R$ 655,99

    Comprar
  • Curativo Carboflex (Oval) 8 X 15 cm - Convatec

    Por: R$ 578,47

    Comprar
  • Curativo Espuma Biatain Ag Não Adesivo com Prata 10 x 10 5 un - Coloplast

    Por: R$ 319,10

    Comprar
  • Curativo Cutimed Siltec B 10 x 10 cm - BSN Medical

    Por: R$ 711,48

    Comprar