Uma mulher ajoelhada em uma das pernas, aparentemente feliz, auxiliando um homem que está apoiado em duas muletas de metal, aparentando estar em uma sessão de fisioterapia.


Reabilitação física: saúde e qualidade de vida


O que é reabilitação?



Caminhar até o supermercado, carregar a sacola de compras até a casa, desembalar e colocar os mantimentos nos armários da cozinha. Para a maioria de nós, esses atos são tão automáticos e costumeiros que não nos damos conta de quantas capacidades físicas eles demandam. Força, resistência e flexibilidade são três delas, só para dar um pequeno exemplo.


A verdade é que só passamos a perceber o quanto elas são importantes quando envelhecemos e, progressivamente, passamos a perdê-las. Ou quando, depois de uma cirurgia, somos obrigados a ficar meses em uma cama e necessitamos até mesmo de ajuda para respirar melhor, ou mesmo quando uma doença ou acidente grave nos impede de executar ações cotidianas.


Segundo a Organização Mundial da Saúde (OMS), reabilitação nada mais é do que um conjunto de medidas que tem como objetivo ajudar pessoas que sofrem de alguma deficiência ou incapacidade, ou que têm algum risco de virem a sofrer disso a manterem-se funcionando com qualidade de vida e interagindo com o ambiente que as cerca. Só para que se tenha uma ideia, cerca de 15% da população mundial tem algum tipo de dificuldade para interagir com as coisas que a cercam, de acordo com a OMS. Esse tipo de dificuldade vem se tornando mais e mais comum à medida que a população envelhece e à medida que doenças crônicas como o diabetes e problemas cardiovasculares vêm crescendo em todo o mundo.


A reabilitação pode ser essencial se a pessoa:


1. sofreu um AVC (acidente vascular cerebral);
2. passou ou está há um longo tempo acamada ou no hospital;
3. teve uma lesão na espinha que levou à perda ou redução de movimentos;
4. teve um infarto;
5. na terceira idade, momento da vida em que há chances de aparecerem sintomas de Parkinson, Alzheimer, câncer e artrite, bem como alto risco de quedas e de fraturas nas pernas e quadril.


A reabilitação também atua em casos de doenças que comprometem o sistema respiratório, visando reduzir a falta de ar e até a expectoração. Veja algumas das patologias que podem demandar reabilitação:


1. hipertensão pulmonar;
2. asma brônquica;
3. fibrose cística;
4. doença pulmonar obstrutiva crônica, também conhecida como DPOC;
5. transplante de pulmões.



De terapia ocupacional à cadeira de rodas


Reabilitar alguém significa usar de todos os meios existentes para torná-la mais independente e funcional possível. Isso significa fazer uso de uma série de intervenções, que vão desde a simples fisioterapia, com todos os seus acessórios, até o uso de dispositivos como órteses, próteses e até cadeira de rodas e muletas.


A reabilitação é considerada uma medida multiprofissional, pois quase sempre envolve terapeuta ocupacional, fisioterapeuta, médico, fisiatra e até enfermeiros e cuidadores (especialmente no caso de idosos acamados).


O resultado de qualquer programa de reabilitação, claro, vai depender da gravidade da lesão ou da doença e do quanto ela comprometeu alguma parte do corpo, da própria saúde geral da pessoa e do quanto a família a está apoiando e provendo o suporte que ela precisa para ganhar qualidade de vida.

 


Saiba mais sobre esse assunto

Produtos relacionados:

  • Meias Cardinal Antiembólicas T.E.D - Até a Coxa - Média - Longa

    Por: R$ 143,49

    Comprar
  • Atadura Elástica Hartmann Peha-Haft Latexfree 4 cm X 10 m 1un

    Por: R$ 24,28

    Comprar
  • Meias Cardinal Antiembólicas T.E.D - Até a Coxa - Extra G. Grande - Curta

    Por: R$ 143,49

    Comprar
  • Meias Cardinal Antiembólicas T.E.D - Até a Coxa - Média - Curta

    Por: R$ 143,49

    Comprar
  • Meias Cardinal Antiembólicas T.E.D - Até o Joelho - Extra G.G. Grande - Longa

    Por: R$ 86,09

    Comprar