Pesquisa realizada pela Universidade da Califórnia (Los Angeles)

Por Kayla McKiski


A terapia para toda a família pode ajudar crianças e adolescentes vulneráveis ​​ao transtorno bipolar a permanecer saudáveis ​​por mais tempo, sugerem novas pesquisas.
Pesquisadores da Universidade da Califórnia, Los Angeles, da Universidade do Colorado e da Universidade de Stanford estudaram 127 jovens de 9 a 17 anos.
Eles analisaram dois tipos de tratamento que atrasam os sintomas bipolares novos e recorrentes: terapia familiar e psicoeducação. A terapia focada na família ensina habilidades de comunicação aos pacientes e suas famílias, enquanto a psicoeducação ajuda a desenvolver um plano para os pacientes gerenciarem e lidarem com os sintomas.
O transtorno bipolar é uma doença mental que é diagnosticada por padrões de mudanças extremas de humor e energia. Não há cura, mas medicamentos e psicoterapia podem ajudar alguns pacientes.
Os jovens do estudo apresentavam alto risco de transtorno bipolar devido a um histórico familiar da doença. Sinais de alerta precoces da doença, incluindo depressão e mania, foram observados em todos os participantes no início do estudo.
Algumas famílias podem não perceber que seus filhos estão em risco de transtorno bipolar. "Eles [pais] pensam que são apenas crianças mal-humoradas", disse o autor do estudo David Miklowitz, professor de psiquiatria da UCLA.
"Mas há sinais reveladores, como mudanças repentinas nos níveis de humor e energia, irritabilidade, sensação cada vez mais ansiosa e deprimida, de modo que não podem sair da cama", explicou ele em um comunicado da UCLA. "Muitas vezes, são crianças para quem o transtorno bipolar ocorre na família".
Setenta e sete por cento dos jovens em terapia familiar se recuperaram dos sintomas bipolares durante o estudo. Os sintomas não se repetiram por uma média de 87 semanas. No grupo de psicoeducação, apenas 65% das crianças e adolescentes se recuperaram. O tempo médio de recorrência dos sintomas foi de 63 semanas.
Os resultados foram publicados em 15 de janeiro na revista JAMA Psychiatry.
"Este estudo é um primeiro passo importante na tentativa de diminuir a gravidade do transtorno bipolar no início das crianças", disse o co-autor do estudo, Christopher Schneck, professor associado de psiquiatria da Universidade do Colorado. "Os esforços em casa e nos serviços de saúde, como o treinamento de habilidades para as famílias, podem fazer uma grande diferença no sofrimento de uma criança".

Saiba mais sobre esse assunto

Produtos relacionados:

  • Bolsa Sur Fit Plus Drenável Opaca 57 mm 10un

    Por: R$ 156,43

    Comprar
  • Base Adesiva Pediátrica Plana Sem Borda Adesiva Hollister Pouchkins Softflex Recortável Até 32mm 5un

    Por: R$ 107,14

    Comprar
  • Polimais A B C D E GTS - 20ml

    Por: R$ 17,14

    Comprar
  • Seringa Insulina com Agulha BD Ultrafine 6x0,3 100Ui 10un

    Por: R$ 43,76

    Comprar
  • Cadarço Vascular Em Silicone Azul Super Maxi - 1,30X559 MM - 0,05X22' - 1 un

    Por: R$ 73,03

    Comprar