Um homem sorrindo, abraçando a barriga de uma mulher grávida


Paternidade: superando medos e desafios

Medo da paternidade


Por - Chris Woolston, M.S.

 

De muitas maneiras, Josh Kraft, de Billings, Montana, tinha um treinamento perfeito para a paternidade. Como o mais velho de nove filhos, ele já era um especialista em bebês que conhecia bem fraldas. Mas quando Kraft e sua esposa começaram a falar sobre ter filhos, algumas dúvidas e medos começaram a aparecer. Ele estava realmente pronto? Sua esposa estava pronta? Como eles poderiam criar uma criança? Ao final, o desejo de ter filhos superou suas preocupações.

"Acabamos ficando sem desculpas", diz ele. Com essa percepção, veio um menino que agora está ansioso pelo seu quinto aniversário. Mais tarde, a filha que hoje está com 1 ano e 8 meses.

 

Preocupações comuns

 

Josh sabe que a paternidade pode ser um empreendimento assustador. É por isso que ele gasta muito do seu tempo ajudando outros homens a se prepararem para o grande dia. Ele trabalha como facilitador no Boot Camp para pais de primeira viagem, um programa que oferece sessões de treinamento de um dia para pais expectantes. Os futuros pais se reúnem em um círculo e compartilham o que estão em suas mentes. Eles falam sobre decorar o berço e colocar prateleiras. Eles riem sobre as ânsias e mudanças de humor de seus parceiros. E eles falam sobre as coisas que realmente os assustam: Apoiar uma família, ser responsável por uma criança, nunca ser "livre" novamente. 

Quase todos os homens têm alguns receios sobre a paternidade, diz Robert Rodriguez, PhD, um psicólogo de Ohio que trabalha frequentemente com casais expectantes. Rodriguez é o autor de vários livros, incluindo What's Your Pregnant Man Thinking? (Livre tradução: O que seu Homem Grávido está pensando?). Um livro para as mães expectantes sobre os pais expectantes (Lulu Press, agosto de 2004). Com muita frequência, diz ele, os medos dos pais expectantes são fortes o suficiente para arruinar relacionamentos. 

De acordo com Rodriguez, cerca de 15% dos casais se separam antes que o bebê nasça, quase sempre porque o homem ficou com os pés frios. Homens que ficam com suas parceiras são propensos a depressão e ansiedade à medida que a data de nascimento se aproxima. Alguns homens descontam seus medos em suas esposas através de abuso mental ou físico. 

Embora você possa preencher uma biblioteca doméstica com livros que ajudam a preparar as mulheres para a maternidade, os sentimentos dos homens são frequentemente ignorados. Mas quando os homens têm a chance de falar abertamente, seus medos surgem rapidamente. Nas sessões de treinamento, Kraft passa boa parte do tempo tranquilizando pais nervosos sobre os detalhes da paternidade: sim, você fará sexo novamente depois que o bebê nascer. Sim, será capaz de trocar uma fralda sem ficar doente do estômago. E não, trabalho e parto nem sempre é um pesadelo. "Assim que você diz às pessoas que você está esperando um bebê, você ouve todas essas histórias de horror sobre bebês de cabeça pontiaguda e noites de 12 horas", diz ele. 

Como psicólogo, Rodriguez escava alguns dos medos mais profundos. "Quando converso com pais em grupos, eles falam sobre finanças e como tiveram que transformar seu escritório em uma creche", ele diz. "Mais comumente eles têm medo de perder sua identidade." 

Assim que uma mulher diz: "Estou grávida", um homem vê a vida escorregando por seus dedos, diz Rodriguez. Ele não poderá sair com seus amigos quantas vezes quiser. Ele provavelmente não será capaz de pagar a casa ou o carro ou a viagem de mochila dos seus sonhos. E, talvez, acima de tudo, ele não fará mais parte de um casal. Ele fará parte de uma família. "De repente, a partir de agora até a [sepultura], sua vida não será a mesma", diz Rodriguez. 

E depois há a questão desconfortável da paternidade. Muitos homens temem que o bebê não seja realmente deles, observa Rodriguez. Alguns têm apenas um lampejo de dúvida, enquanto outros têm medos completos. Um médico de San Francisco recorda um caso em que as dúvidas de paternidade infundadas de um homem levaram ao colapso de um "relacionamento perfeitamente bom". 

Em muitos casos, esses sentimentos refletem a baixa auto-estima do pai, e não qualquer dúvida racional, diz Rodriguez. É difícil para alguns homens aceitarem que poderiam estar envolvidos na criação de algo tão maravilhoso quanto uma criança. Se eles pensassem sobre isso logicamente, ele diz, eles provavelmente poderiam relaxar sobre a paternidade e começar a abordar questões mais importantes. 

Armin Brott, co-autor de The Expectant Father (livre tradução: Pai Gestante), diz que muitos homens se sentem excluídos da gravidez - por um bom motivo. Nas consultas de pré-natal, os médicos geralmente se concentram apenas na mãe. E à medida que a gravidez avança, ela pode tender a se aproximar mais das amigas e parentes. 

Na verdade, o foco na gravidez da mãe pode encorajar os homens a ficarem com ciúmes ou desenvolver a chamada síndrome de couvade, um padrão de reações simpáticas que resultam em sintomas normalmente associados à gravidez: ganho de peso, náuseas, alterações de humor, problemas alimentares e dores de cabeça.

 

Abrindo-se!

 

Infelizmente, a maioria dos homens nunca discute seus medos com a parceira ou com qualquer outra pessoa, diz Rodriguez. "Eles estão com medo de que eles serão acusados de causar problemas", diz ele. "Eles tendem a segurá-lo dentro e agir."

Rodriguez encoraja os homens a se sentarem com suas esposas e explicarem suas preocupações. Eles devem falar sobre finanças, creches e outras questões futuras. Eles também devem falar sobre seus medos, desde pequenas preocupações até os piores cenários. "Uma vez que eles falam sobre seus sentimentos sem medo de repercussões, eles formam relacionamentos incrivelmente fortes", diz ele.

Evitar essa discussão pode ser prejudicial para os relacionamentos, escreve Brott. "Porque nunca nos damos a chance de falar sobre nossos medos, nunca aprendemos que o que estamos passando é normal e saudável."

Brott aconselha os pais a aproveitarem o tempo antes de a criança nascer. Falar sobre as coisas que desencadeiam o medo, incluindo seu envolvimento em consultas médicas, tarefas de bebê, disciplina, arranjos para dormir, trabalho, creche, religião e, claro, finanças.

Eles também devem encontrar uma maneira de conversar com outros pais e futuros pais, seja em uma sessão do Boot Camp ou em um jogo de pôquer. Quando eles ouvem o que outros pais expectantes estão passando, eles saberão que não estão sozinhos. E quando eles conversam com os pais, eles aprendem que a paternidade realmente não faz a vida parar. Como Josh Kraft e outros pais podem atestar, as crianças vão enviar a vida de um homem em uma direção totalmente nova. E é um ótimo caminho a percorrer.

 

Referências

 

Entrevista com Josh Kraft, um pai em Billings, Montana.

Entrevista com Robert Rodriguez, PhD, um psicólogo de Ohio e autor de What's Your Pregnant Man Thinking?

Rodriguez, Robert. Qual é o seu homem grávido pensando? Um livro para as mães expectantes sobre os pais expectantes (Lulu Press).

Brott, Armin A. e Ash, Jennifer, The Expectant Father: Fatos, dicas e conselhos para os futuros pais. Abbeville Press

Saiba mais sobre esse assunto

Produtos relacionados:

  • Bolsa De Colostomia Active Life Drenável Transparente Convexa 32mm 5un

    Por: R$ 405,71

    Comprar
  • Bolsa De Uma Peça Para Ostomia Drenável Opaca Com Adesivo Hollister Premier Recortável Até 64mm 10un

    Por: R$ 388,57

    Comprar
  • Placa Surfit Plus Moldável Convexa 45mm/13-22mm 10un

    Por: R$ 707,14

    Comprar
  • Clamp Para Bolsa Drenável Hollister 1un

    Por: R$ 8,57

    Comprar
  • Placa Sur Fit Plus Com Adesivo Microporoso 38 mm 5un

    Por: R$ 237,14

    Comprar