um senhor idoso, sorrindo e usando um chapéu de palha


Doenças Cardíacas e Estresse: entenda a relação


Prevenção de Doenças Cardíacas: Diminua seu Estresse


Por: Chris Woolston, M.S.

 

 

Os poetas não são os únicos que vêem uma conexão entre a mente e o coração. Muitos cientistas acreditam agora que a raiva, a depressão e outras formas de sofrimento mental podem ajudar a inflamar doenças cardíacas. Se você quiser evitar problemas cardíacos, exercitar-se e observar sua dieta é um bom começo. Mas para proteção máxima, você também pode precisar relaxar sua mente.

 

 

 

Como as emoções podem afetar o coração?

 

 

Sentimentos negativos começam no cérebro, mas eles engolfam rapidamente todo o corpo. Quando você está com raiva, azul ou estressado, seu corpo inunda com adrenalina e outros hormônios do estresse. Esses hormônios - e outras substâncias liberadas por um corpo sob estresse - afetam o suprimento de sangue ao músculo cardíaco, aumentam a coagulação das partículas sanguíneas e limitam o fluxo sangüíneo nos vasos coronários, o que pode resultar no acúmulo de sangue. de um coágulo de sangue.

 

Estresse emocional também pode causar um aumento temporário da pressão arterial ou levar a um espasmo coronário. Todas essas condições podem danificar as paredes dos vasos sangüíneos, tornando quaisquer lesões pré-existentes - alterações anormais na estrutura das paredes dos vasos devido a lesão ou doença - mais instáveis. O estresse crônico também está associado ao aumento da inflamação no corpo, o que está implicado em várias condições crônicas, incluindo doenças cardíacas.

 

Alguns especialistas também teorizaram que muito estresse pode acelerar o acúmulo de placas de gordura nas artérias grandes e médias, uma condição chamada aterosclerose. Embora isso ainda esteja em debate, o que está claro é que, uma vez que suas artérias fiquem entupidas, uma resposta furiosa a um único vôo perdido ou ao acúmulo de tráfego pode significar um desastre. Se você ficar com raiva o suficiente, suas artérias podem se contrair com força; O sangue que empurra através de uma área preenchida com uma placa macia pode então "corroer" a substância gordurosa de modo que ela se rompa, levando à formação de um coágulo sanguíneo. Se um desses coágulos se alojar em uma artéria que alimenta seu coração, você terá um ataque cardíaco.

 

Isso não significa que você precisa entrar em pânico com sua saúde toda vez que ficar realmente chateado. A raiva é natural, e mantê-la dentro pode ser tão ruim para você como fulminante na estrada. Aprender a expressar sua raiva de forma construtiva e deixá-la ir é fundamental para manter seu coração saudável.

 

 

 

Quão sério é o risco?

 

 

Vários estudos recentes colocaram a ligação entre a mente e o coração em foco nítido. Pesquisadores da Universidade da Carolina do Norte mediram os níveis de raiva de quase 13 mil homens e mulheres e os acompanharam por seis anos. Conforme relatado no The Lancet, as pessoas que eram mais propensas à raiva eram quase três vezes mais propensas que os indivíduos com cabeça fria a ter um ataque cardíaco nesses seis anos.

 

Depressão pode ter um pedágio ainda maior. Um estudo de 13 anos com 1.500 pessoas realizado na Universidade Johns Hopkins descobriu que um episódio de depressão aumentava em mais de quatro vezes o risco de ataque cardíaco. Mesmo que uma pessoa sobreviva ao ataque inicial, a depressão pode ser fatal. Pesquisadores do Instituto do Coração de Montreal rastrearam 222 sobreviventes de ataques cardíacos e descobriram que aqueles que sofrem de depressão tinham cerca de seis vezes mais chances do que outros de morrer dentro de seis meses de seu ataque. Ainda outro estudo descobriu que as vítimas da síndrome do estresse pós-traumático, incluindo membros das forças armadas, eram mais propensas a desenvolver doenças coronárias.

 

Mesmo se você não estiver deprimido e raramente explodir, as tensões cotidianas da vida podem prejudicar o coração. Um estudo de 14 anos com 3.575 trabalhadores nos Estados Unidos descobriu que as pessoas que sentiam pouco controle sobre seus empregos eram 40% mais propensas a sofrer um ataque cardíaco.

 

 

 

Como posso me proteger?

 

 

Ninguém pode esperar estar calmo 24 horas por dia. Mas se raiva, depressão ou outros sentimentos negativos consomem sua vida, você precisa agir. Aqui estão algumas dicas que ajudarão a aliviar sua mente e proteger seu coração:

 

  • Quando você sentir a raiva se formando, respire um pouco do fundo da sua barriga e lentamente repita palavras tranqüilizadoras como "relaxe". Você também pode tentar imaginar uma cena calma e pacífica.
  • Fique longe de situações que te deixem com raiva e hostil. Se você não aguenta ficar preso no trânsito, tente alterar sua programação para evitar a hora do rush.
  • Encontre uma liberação para sua raiva. Em vez de gritar, tente falar. Se você tiver problemas para comunicar seus sentimentos com amigos ou familiares, mas sentir muita emoção reprimida, considere consultar um conselheiro para explorar esses sentimentos. Você também pode querer queimar um pouco do excesso de adrenalina, levantando pesos ou dando uma corrida ao redor do quarteirão, se o seu médico autorizar.
  • O exercício regular, como caminhar, correr ou andar de bicicleta, é uma das maneiras mais seguras de aliviar o estresse e afastar a depressão. Um bom treino também pode fortalecer seu coração e ajudar a limpar suas artérias. Seu médico pode ajudá-lo a encontrar um programa de exercícios adequado para você.
  • Se você ainda se sentir tenso, adicione alguns exercícios lentos e relaxantes como yoga ou Tai Chi à sua rotina. Seu centro comunitário local pode oferecer aulas de baixo custo nessas disciplinas.
  • Tente meditação. Um estudo de afro-americanos com pressão alta descobriu que aqueles que meditaram por seis a nove meses tiveram artérias mais saudáveis ​​do que aqueles que não meditaram, de acordo com um relatório da revista Stroke.

Se eles trabalham fora de casa ou não, os pais têm seu próprio conjunto de tensões. Tente não ser um perfeccionista ou esperar filhos perfeitos. Pergunte a amigos ou parentes para dar uma folga das crianças para que você possa fazer algo de que goste e retornar com energia suficiente para sua família.

 

Se você se sentir impotente em seu local de trabalho - uma das principais causas de estresse no trabalho - tente tomar a iniciativa em um novo projeto ou pedir ao chefe tempo flexível. Você vai se sentir muito melhor com um pouco mais de controle. Se você estiver em um sindicato, converse com o representante da loja sobre as maneiras pelas quais o sindicato ou a administração poderiam melhorar as condições de trabalho.

 

Conheça os sinais de alerta da depressão e não os leve de ânimo leve. Algumas das bandeiras vermelhas incluem uma sensação avassaladora de tristeza ou vazio, uma sensação de que a vida ficou vazia, perda de interesse em atividades antes agradáveis, padrões incomuns de comer ou dormir, choro excessivo ou pensamentos de suicídio e morte. Se você se sentir deprimido, consulte o seu médico ou um profissional de saúde mental para obter ajuda o mais rápido possível. Aconselhamento e prescrição de antidepressivos, separadamente ou em combinação, podem impulsionar o seu humor e, talvez, proteger o seu coração.

 

Seja especialmente cauteloso com a depressão se você já teve um ataque cardíaco. De acordo com o Instituto Nacional de Saúde Mental, um em cada três sobreviventes caiu em depressão maior em algum momento durante o ano seguinte a um ataque cardíaco. Se sua mente está perturbada, seu coração pode demorar a curar.

 

 

 

Referências

 

Edmundson, D. et ai. Síndrome do estresse pós-traumático e risco de doença coronariana. American Heart Journal.

 

Ahmad, Khabi. The Lancet. Volume 355: 9215, pp. 1619.

 

Amparo Castillo, Richard, MD. Efeitos da redução do estresse na aterosclerose carotídea em afro-americanos hipertensos. Stroke, vol. 31: 568-73.

 

Williams JE et al. A inclinação da raiva prediz risco de coração coronário. Circulação. Vol.101: 2034-2039

 

Hemmingway H, M Marmota. Fatores psicológicos na etiologia e prognóstico da doença coronariana: revisão sistemática de estudos prospectivos de coorte. British Medical Journal, vol. 318: 1460-1467.

 

Instituto Nacional de Saúde Mental. Breaking Ground, Breaking Through: O Plano Estratégico para os Transtornos do Humor, Pesquisa do NIMH. http://www.nimh.nih.gov/about/strategic-planning-reports/breaking-ground-breaking-though-the-strategic-plan-for-mood-disorders-research.shtml

 

Saiba mais sobre esse assunto

Produtos relacionados:

  • Bandagem Elástica Co-Plus® - 7,5 cm X 4,5 m - Cores variadas - 24 un

    Por: R$ 519,02

    Comprar
  • Bandagem Elástica Co-Plus® - 5 cm X 4,5 m - Cor da Pele

    Por: R$ 12,92

    Comprar
  • Bandagem Elástica Co-Plus® - 15 cm X 4,5 m - Cor da Pele

    Por: R$ 40,54

    Comprar
  • Bandagem Elástica Co-Plus® - 7,5 cm X 4,5 m - Cores variadas - 24 un

    Por: R$ 519,02

    Comprar
  • Bandagem Elástica Co-Plus® - 7,5 cm X 4,5 m - Cor da Pele

    Por: R$ 17,96

    Comprar