Uma criança bebendo água


Diabetes tipo 2 em crianças: a epidemia crescente


Por Chris Woolston

 

 

As crianças podem ter diabetes tipo 2?

 

Não faz muito tempo, quase todas as crianças com diabetes sofriam do tipo 1 da doença, o que significa que seus corpos não podiam produzir insulina suficiente. E diabetes tipo 2, em que o pâncreas pode produzir níveis normais de insulina, mas as células se tornam resistentes a ele, normalmente levou décadas para se desenvolver.

 

Mas diabetes tipo 2 não é apenas para adultos. O número de crianças e adolescentes com a doença (a maioria diagnosticada no começo da adolescência) disparou nos últimos 20 anos e continua subindo, o que levou os especialistas a chamarem-na de epidemia.

 

Como as crianças pequenas obesas têm maior probabilidade de se tornarem diabéticas quando são mais velhas, os especialistas estão prestando atenção especial em quanto - ou quão pouco - os pré-adolescentes comem e se exercitam. Pesquisadores de doenças nos Centros de Controle e Prevenção de Doenças (CDC) fizeram a previsão de que uma em três crianças nascidas nos Estados Unidos em 2000 provavelmente desenvolverá diabetes tipo 2 em algum momento da vida, a menos que consigam mais exercícios e melhorem suas dietas. A previsão foi especialmente séria para crianças latinas. Sem mudanças na dieta e exercício, suas chances de desenvolver diabetes durante a sua vida foram de cerca de 50-50.

 

O tipo 2 geralmente não apresenta risco de vida ou é dramático como o tipo 1 no momento do diagnóstico, mas aumenta a probabilidade de que as crianças desenvolvam complicações graves em longo prazo na vida adulta, como cegueira, doença renal e doença cardíaca.

 

Com tratamento médico apropriado e um programa de autocuidado que incorpore exercícios, monitoramento de glicose e nutrição, no entanto, seu filho provavelmente manterá seu açúcar no sangue sob controle e evitará complicações sérias.

 

 

Quais crianças estão em risco de diabetes tipo 2?

 

Mais de 80% de todas as crianças e adolescentes com diabetes tipo 2 têm excesso de peso e cerca de 40% são clinicamente obesos. De fato, os pesquisadores suspeitam que o aumento da obesidade entre os jovens esteja impulsionando a nova epidemia.

 

Há muito tempo existe uma ligação estatística entre obesidade e diabetes tipo 2, mas exatamente por que milhões de pessoas obesas desenvolvem diabetes tipo 2 há muito tempo é um mistério médico. Os cientistas descobriram que certas células de gordura são metabolicamente ativas e secretam substâncias químicas que aumentam os níveis de inflamação no corpo e contribuem para o aumento da gordura no fígado, que é um fator de risco para a resistência à insulina - um precursor do diabetes tipo 2.

 

Outros estudos sugeriram que o tipo de obesidade - ou onde você armazena sua gordura - pode fazer a diferença também. Aqueles que armazenam em torno do meio (a chamada forma de maçã) como gordura profunda da barriga estão em maior risco de desenvolver diabetes. Alguns especialistas acreditam que dietas ricas em carboidratos e pobres em fibras são parte do problema. Finalmente, porque o exercício torna as células musculares do seu corpo mais sensíveis à insulina, um estilo de vida sedentário é um fator de risco. Se o seu filho raramente brinca fora ou se exercita, então ele ou ela pode estar sob maior risco da doença.

 

Por razões desconhecidas, nativos americanos, afro-americanos, asiáticos-americanos, nativos de ilhas do Pacífico e latinos também são especialmente vulneráveis ​​à doença. (Uma teoria é que as pessoas cujos ancestrais caçadores ou coletores levavam vidas de "festa ou fome" desenvolviam um "gene econômico", que permitia um armazenamento de gordura muito eficiente.) Pesquisadores do Hospital Infantil de Cincinnati descobriram que, comparados com crianças de ascendência européia, Os meninos e meninas afro-americanos tinham 3,5 e 6,1 vezes mais chances de desenvolver diabetes tipo 2, respectivamente. E médicos em uma clínica de diabetes do sul da Califórnia relataram recentemente que 31% dos jovens mexicanos-americanos tinham a variedade tipo 2, em comparação com 3% das crianças brancas.

 

Outros fatores também podem colocar as crianças em risco. Se familiares próximos têm a doença ou se uma mãe desenvolve diabetes durante a gravidez, por exemplo, as crianças têm uma probabilidade significativamente maior de desenvolver a doença.

 

 

Quais são os sinais de alerta do diabetes tipo 2?

 

Muitas crianças passam anos antes de apresentarem sintomas que reconhecem como um problema, mas a maioria das crianças com diabetes tipo 2 é diagnosticada antes de apresentar sintomas. Ainda assim, vale a pena ser cauteloso, especialmente se o seu filho está em alto risco para a doença. Preste atenção para estes sinais: aumento da micção, sede extrema, aumento do apetite e perda de peso. Um outro sinal potencial de diabetes tipo 2 é uma condição da pele chamada acanthosis nigricans. Até 70 por cento das crianças com diabetes tipo 2 têm essa condição, que é caracterizada por uma mancha de pele extremamente escura, aveludada e ondulada, na maioria das vezes nas axilas, na nuca ou entre os dedos das mãos e dos pés.

 

Testes específicos de sangue e urina são usados ​​para diagnosticar diabetes tipo 2. A Associação Americana de Diabetes recomenda que crianças com sobrepeso com pelo menos dois fatores de risco façam um teste de açúcar no sangue em jejum a cada dois anos, começando aos 10 anos. Se você estiver preocupado, pergunte ao médico sobre esses exames, especialmente se houver um histórico da doença na família. e se o seu filho estiver com excesso de peso. E novamente, nativos americanos, latinos, afro-americanos, asiáticos-americanos e ilhéus do Pacífico correm maior risco.

 

 

Existem consequências cotidianas para crianças com diabetes tipo 2?

 

Sim. Embora o tipo 2 geralmente não seja tão grave no curto prazo quanto o tipo 1 - e geralmente é mais fácil de controlar - existem vários efeitos diários possíveis da doença. A American Diabetes Association lista os mais comuns:

 

  • Dor de cabeça
  • Visão embaçada
  • Sede
  • Micção frequente
  • Pele seca e com coceira

 

Consequências a longo prazo também são uma preocupação séria. Se não for controlada em idade precoce, o diabetes tipo 2 pode levar a complicações como cegueira, insuficiência renal, doença cardíaca e até mesmo amputações.

 

 

Como o diabetes tipo 2 é tratado?

 

Ao contrário das crianças com diabetes tipo 1, as pessoas com tipo 2 geralmente não precisam de injeções de insulina para controlar seus níveis de açúcar no sangue. Na verdade, a maioria pode controlar a doença simplesmente comendo menos calorias, cortando gorduras e açúcares, e fazendo mais exercícios. Lembre-se, as crianças recebem a maioria de suas sugestões de estilo de vida (para não mencionar seus mantimentos) de seus pais. Ao servir alimentos saudáveis, incentivar a atividade física e educar a família sobre o diabetes, os pais podem contribuir muito para a saúde de seus filhos.

 

Quando mudanças de estilo de vida não são suficientes - ou quando elas não podem ser feitas - seu filho pode precisar de injeções de insulina. Algumas drogas sulfoniluréias e metformina também podem ajudar a controlar o açúcar no sangue da criança.

 

 

A diabetes tipo 2 na infância pode ser prevenida?

 

A chave para prevenir o diabetes tipo 2 em crianças - e adultos - é evitar a obesidade. Dê ao seu filho uma dieta balanceada (incluindo muita fibra, alimentos integrais e frutas e vegetais), evite alimentos açucarados e refrigerantes e incentive seu filho a fazer muitos exercícios. Ao estimular as crianças a se exercitarem e comerem desde cedo, os pais podem pôr um fim nessa epidemia e colocar seus filhos no caminho para uma vida longa e saudável.

 

 

Referências

Rates of new diagnosed cases of type 1 and type 2 diabetes on the rise among children, teens: Fastest rise seen among racial/ethnic minority groups. April 13, 2017. https://www.nih.gov/news-events/news-releases/rates-new-diagnosed-cases-type-1-type-2-diabetes-rise-among-children-teens

Now, two out of every five Americans is expected to get type 2 diabetes during their lifetimes, Centers for Disease Control and Prevention, November 2014. https://www.cdc.gov/diabetes/pdfs/newsroom/now-2-out-of-every-5-americans-expected-to-develop-type-2-diabetes-during-their-lifetime.pdf

American Diabetes Association. Standards of Medical Care in Diabetes. Diabetes Care 31: S50S11.

Steppan CM et al. The hormone resistin links obesity to diabetes. Nature 18;409(6818):307-12.

Rosenbloom AL et al. Emerging epidemic of Type 2 diabetes in youth. Diabetes Care. Feb;22(2):345-54.

Neufeld ND et al. Early presentation of type 2 diabetes in Mexican-American youth. Diabetes Care 21(1):80-86.

National Diabetes Information Clearinghouse. National Diabetes Statistics. http://diabetes.niddk.nih.gov/dm/pubs/statistics/
Lee J. et al. Circulating Resistin Levels Are Not Associated with Obesity or Insulin Resistance in Humans and Are Not Regulated by Fasting or Leptin Administration: Cross-Sectional and Interventional Studies in Normal, Insulin Resistant, and Diabetic Subjects. Journal of Clinical Endocrinology and Metabolism. 88(10): 4848-56. http://www.ncbi.nlm.nih.gov/entrez/query.fcgi?cmd=Retrieve&db=PubMed&list_uids=14557464&dopt=Citation

Benavides S. et al. Efficacy and safety of hypoglycemic drugs in children with type 2 diabetes mellitus. Pharmacotherapy. 25(6): 803-9. http://www.ncbi.nlm.nih.gov

American Diabetes Association. Alternative Insulin Delivery Systems. http://www.diabetes.org/for-parents-and-kids/diabetes-care/alternative-insulin.jsp

Saiba mais sobre esse assunto

Produtos relacionados:

  • Seringa Insulina com Agulha BD Ultrafine 8x0,3 30Ui 10un

    Por: R$ 40,39

    Comprar
  • Seringa Insulina com Agulha BD Ultrafine 6x0,3 50Ui 10un

    Por: R$ 40,39

    Comprar
  • Agulha para Caneta de Insulina 31G BD Ultrafine Curta 100un

    Por: R$ 113,14

    Comprar
  • Seringa Insulina com Agulha BD Ultrafine 6x0,3 30Ui 10un

    Por: R$ 40,39

    Comprar
  • Categorias Relacionadas: